PROJETO: Como Campeões transcenderam a humanidade

Por: Jigu

Nenhuma grande ideia entra em League of Legends sem ser examinada, desafiada e mudada em nosso processo colaborativo. Quando Marco “Wendigo” Silva, um artista do escritório de São Paulo, sonhou com o “Cyber Yi”, ele sabia que o seu projeto passaria por esse processo criativo.

Wendigo quis lutar ferrenhamente por sua ideia, então ele montou uma equipe de artistas conceituais e animadores para criar uma apresentação de 50 páginas detalhando como uma skin lendária do Yi combinaria com todo um universo inspirado em filmes clássicos do cyberpunk. Os primeiros Rioters que viram a proposta a passaram adiante, e ela se espalhou de forma viral na empresa. A galera começou a se amontoar no trem do hype cibernético de Wendigo.

“Minha primeira impressão foi tipo: ‘uau, isso é surreal’”, lembra Larry “The Bravo Ray” Ray, artista de conceito líder. “Eu fiquei impressionado.”

Só que existiam obstáculos que Wendigo não tinha levado em conta. Enquanto a proposta do Cyber Yi estava em produção, uma equipe do escritório em Santa Monica estava trabalhando de forma independente em uma skin de temática cibernética chamada PROJETO: Yasuo. Nossos artistas acharam que Cyber Yi complementaria a nova skin de Yasuo, mas antes precisariam definir a direção artística de PROJETO: Yasuo — e para quaisquer outros Campeões que combinassem com esse mundo.

Cyber Yi precisaria evoluir.


PROJETO VS. Os Robôs

Duas outras linhas de skins futuristas e tecnológicas existiam em League of Legends naquele momento: as enormes “Mech” (com Malphite, Aatrox e Kha’Zix) e o monstruoso e flamejante exército das “Máquinas de Combate” (estrelando Viktor Criador e suas mutações mecânicas de Kog’Maw, Vel’Koz, Cho’Gath, Urgot e Skarner).

De acordo com Adam “Riot AdamUnicorn” Kupratis, artista de efeitos visuais, “é o tipo de coisa que os vikings construiriam se tivessem motores de combustão”. Tem óleo negro, faíscas ardentes, pistões e uma fonte de combustível. “Tudo ali está em chamas e ficar por perto vai machucar”.

Legenda: No design das Máquinas de Combate, tanto armadura quanto armas são voltadas para frente. “Eles não estão preocupados com o que está atrás deles, porque eles já destruíram tudo em seu caminho”, diz Larry Ray.

Do outro lado, a linha Mech tem como influência os filmes e animes no estilo Monstro-ou-Robô-Gigante-Atacando-a-Cidade. As partes sensíveis dos mechs estão cobertas e pintadas, unindo função e forma para criar uma máquina gigantesca que poderia abrigar uma família inteira de yordles na cabine.

Os artistas decidiram manter as skins PROJETO do tamanho de pessoas, apesar dos Campeões terem aprimorado seus corpos com algumas tecnologias bem loucas e grandiosas. “Para tornar-se PROJETO, você precisa abdicar da sua humanidade”, diz Lisa “Saiyaka” Thorn, designer visual. “A tecnologia se apodera da sua alma”.

No entanto, os Campeões PROJETO não são cascas sem alma. Pequenas dicas apontam para suas origens humanas: a luva de couro de Yasuo, o maxilar de Leona visível e o abdome de Master Yi bem definido pelo estilo wuju. Eles não são robôs— eles só são pessoas sinistramente turbinadas.


Dando forma

Usar certas formas e cores podem unificar as skins de maneira sutil. O design dos Mechs são definidos pelos tons frios, verde-azulados — já as Máquinas de Combate, sem pintura, têm detalhes brilhantes em laranja e vermelho. Maioria dos Campeões da linha PROJETO ficam em algum lugar do espectro entre o amarelo e o vermelho, diz Kuprats, mas as skins “brincam com elementos subtrativos”. O que ele quer dizer é que outras cores saem dos equipamentos dos PROJETO, mas são negadas pela luz em volta.

Nas skins Máquina de Combate, cilindros saem de toda junta e abertura: as mandíbulas de Cho’Gath foram trocadas por tubos, e vários pistões saem do focinho de Kog’Maw. Hexágonos dominam a linha Mech. Elas aparecem na textura de colmeia das asas de Kha’Zix, assim como na forma de sua cabeça e as juntas de seus braços. Isso é o que os artistas definem com “linguagem das formas”, e determiná-la para cada Campeão e linha de skins cria um tipo de consistência visual que é facilmente entendida e reconhecida pelos jogadores.

Para determinar a linguagem das formas das skins PROJETO, tivemos que ir além de diferenciá-la das linhas Máquina de Combate e Mech. Paul “SpaceW0mbat” Hoefener, artista conceitual responsável pela skin original PROJETO: Yasuo, a vê como uma combinação de digital (pense em hardware, chips e invólucros de carbono) e efeitos etéreos e intangíveis. Segundo Hoefener, “A forma como as partículas dissolvem parece mágica, mas ainda é tecnologia”. Para se aprofundar nesta ideia, a equipe de arte escreveu uma definição completa do significado de “PROJETO”.



PROJETO: é a fusão perfeita da essência sobrenatural de alguém com armamentos avançados e aprimoramentos para o corpo. Esta ligação de tecnologia e energia permite que um hospedeiro extraordinário canalize sua essência em manifestações físicas e, em casos raros, transcenda o plano corpóreo. Apenas indivíduos que possuam uma essência interior extremamente concentrada e atributos físicos excepcionais podem libertar o verdadeiro poder do PROJETO.



Por fim, PROJETO se trata de transfomar as formas “meramente humanas” dos Campeões por meio da tecnologia, e a linguagem de formas usada pelos artistas reflete isso. “Quando os Campeões usam seus poderes elevados de PROJETO, é por meio de formas e geometria que combinem com suas características únicas”, diz Thorn.

Por exemplo: Fiora é graciosa, porém afiada — se você esbarrar nela, pode se ferir. Lucian é definido por paralelogramas arrojados e de visual ágil, e seu W explode em uma rosa-dos-ventos. Os designers queriam que estes elementos emergissem mesmo depois que os Campeões fundissem suas almas com tecnologia para virarem PROJETO. Então, os triângulos pontudos de PROJETO: Fiora se tornaram digitais. Os disparos de PROJETO: Lucian ficaram mais brilhantes e explosivos.


Do Brasil para os Campos da Justiça

Os jogadores amaram o conceito do PROJETO, mas demorou para descobrirmos como integrar seus temas e ideias com o potencial sugerido pela proposta de Wendigo do “Cyber Yi”. Tamanho, cor, forma, propósito, personalidade: cada um desses elementos precisava ser cuidadosamente considerado e ajustado para transformar PROJETO em uma linha completa de skins.

Hoefener diz que o processo de design longo e multifacetado de PROJETO: Yi é parte do que define a sensibilidade artística de League of Legends. “No fim do processo, todo mundo colocou seu toque pessoal ali, e é assim que se torna algo ‘Leagueficado’”, diz ele.

Para Wendigo, ver sua ideia de “Cyber Yi” evoluir para PROJETO: Yi foi como um sonho tornando-se realidade. Ele diz que ainda tem Master Yi como seu personagem principal, “mas agora vai ter um monte de partículas a mais quando eu emboscar a galera”.


4 years ago


Conteúdo Relacionado