Conheça as equipes do Campeonato Brasileiro - parte 3

Por: buenout

A partir desta sexta-feira (19), oito equipes se enfrentam no palco do WTC Golden Hall, em São Paulo, em busca do título do Campeonato Brasileiro, prêmios, e o direito de buscar uma vaga no Mundial de League of Legends. Mas quem são esses times? Quais seus pontos fortes e fracos? 

Já conhecemos o Grupo A (Keyd e RMA, PeesPlay e Nex Impetus), e hoje é dia de analisar o Grupo B. Começando com PaiN e CNB, duas das principais equipes do país. 

A análise é assinada por Bruno "LeonButcher" Pereira, um dos narradores que vão transmitir as partidas do Campeonato Brasileiro junto de Diniz "Gruntar" Albieri e Gustavo "LoLDuBR" Docil, além dos comentaristas Pato Papão e Caipira do Mal.

Para mais informações, confira o site oficial do Campeonato Brasileiro.   

===========

EQUIPES DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Por LeonButcher*

paiN Gaming

Formação: Felipe "brTT" Gonçalves (carregador), Martin "Espeon" Gonçalves (suporte), Fabio "Venon" Guimarães (top), Thúlio "sirT" Carlos (selva), Gabriel "Kami" Santos (mid)
Capitão: Kami
Destaque: brTT
Classificação: 3º  lugar (215 pontos)
1ª Classificatória – AGE Campinas: 5º-8º lugar (20 pontos)
2ª Classificatória – ESL Open: 5º-8º lugar (20 pontos)
3ª Classificatória – BGL Arena: 1º lugar (100 pontos + vaga direta)
4ª Classificatória – A Cartada Final: 2º lugar (75 pontos)

História

Como organização mais antiga de League of Legends e a única a ter saído do país para disputar um campeonato internacional, a paiN Gaming é uma das grandes potências no cenário. Seja com seu fantástico marketing, seus jogadores ou sua legião de fãs fervorosos, o time é destaque onde quer que dispute um campeonato. Partindo da formação da exP Games (patrocinada pelo narrador Toboco) em dezembro de 2011, a paiN foi a primeira organização a apostar em um cenário de League of Legends. De lá para cá diversos jogadores passaram pelo time, mas um deles ainda permanece: Kami, o jogador mais jovem e também o capitão da equipe.

Kami teve vários companheiros na equipe, mas os que disputarão com ele o CBR são os seguintes: brTT (desde abril de 2012), SirT (julho de 2012), Espeon (fevereiro de 2013) e Venon (abril de 2013). É um time bem entrosado, que conta com o suporte de seu gerente, Wushu, e do ex-narrador e hoje  polêmico treinador, Necro.

Mesmo com toda essa grande história, a paiN nunca tinha vencido um campeonato offline. O time tem vários títulos de Go4LoL, Torneio dos Legends, seed #1 no Campeonato Brasileiro do ano passado (terminaram em terceiro lugar), e era grande esperança na IEM-SP 2012 (terceiro lugar) e na IEM-SP 2013 (sexto).

A imensa rivalidade com a Keyd Team começou em abril de 2012 em uma sucessão de títulos da Keyd em cima da paiN. É o principal clássico de League of Legends do Brasil, e nos últimos dias a rivalidade tem pegado fogo com várias declarações do treinador Necro.

Como grande time, a paiN entrou nas classificatórias vendo a vaga como certa, mas nem tudo foi tão fácil assim. 

Na soma das duas primeiras etapas, ela havia conseguido apenas 40 pontos. A virada veio na terceira etapa: disputa presencial na BGL Arena. Batendo a eterna rival Keyd, a paiN foi campeã da etapa, somou 100 pontos e garantiu a vaga no Brasileiro. Na quarta etapa, com alguns desfalques, a equipe ainda conseguiu chegar na final, quando perdeu para a Keyd e acabou ficando com 215 pontos no total, e com o terceiro "seed" para o Brasileiro.  

A preparação para o Campeonato Brasileiro deste ano vem sendo algo exemplar por parte da paiN Gaming. Único time a organizar gaming house para o campeonato brasileiro no ano passado, o time já está há dois meses se preparando em São Paulo - tempo de sobra para acertar todos os pequenos erros, conversar e treinar. A paiN não está fazendo amistosos com CNB nem Keyd por opção destes times - para compensar, o treino está sendo com times norte-americanos.

Jogador em destaque: brTT

O carioca Felipe “brTT” Gonçalves é o jogador brasileiro mais conhecido no cenário internacional. Seja por sua vasta experiência no eSports, já tendo disputado campeonatos de outros jogos inclusive nos EUA, Suécia e outros países, ou pelo seu Draven, que, segundo sites de estatísticas, é o melhor do mundo. Uma das grandes qualidades do brTT é sua forte mecânica e pensamento rápido adquiridos com treinamentos intensos. Streamer famoso, tem uma legião de fãs que o acompanham sempre, gritando seu famoso bordão com sotaque carioca “Respeita!”. Ele cresce muito em torneios presenciais, e também é conhecido por sua grande paixão e emoções que extravasam durante a partida. Um show à parte.

Pontos fortes

Um treinamento de mais de 2 meses em uma gaming house não necessariamente faz do time o mais preparado, mas é um grande diferencial. Com seu treinador Necro, a paiN tem preparado diversas estratégias novas e pode surpreender bastante até sua própria torcida. Os treinamentos com times dos Estados Unidos também podem se provar muito bons, visto que o cenário de lá já está um passo a frente do brasileiro. Os adversários devem ficar preocupados com a rota bot da paiN, que tem um entrosamento fantástico entre brTT e Espeon. Kami, o jogador brasileiro com melhor colocação em filas ranqueadas na primeira, segunda e atualmente terceira temporada, é um jogador paciente e que sabe esperar a hora de partir para o ataque. SirT, o caçador da selva, controla o ritmo do time e faz as chamadas para o ataque em suas emboscadas que acontecem bastante pela rota. Venon, o que está há menos tempo no time, atrai banimentos em seu Jayce regularmente, e gosta de fazer este papel agressivo em lutas entre times.

Pontos fracos

Por ser um dos principais jogadores do time, brTT tem que tomar cuidado com sua emoção durante a partida. É um fator que pesa muito, e em campeonatos assim é necessário ter muito controle emocional. A equipe precisa pensar muito bem no controle de objetivos no mapa e também nas situações de inversão de rota (2v1) - fatores apontados com alguns dos principais erros de times brasileiros em campeonatos como IEM-SP e IEM Mundial. 

CNB HyperX

Formação: Whesley "Leko" Holler (top), Leonardo "Alocs" Belo (suporte), André "Manajj" Rocha (carregador), Murilo "Takeshi" Melo (mid), Daniel "Danagorn" Drummond (selva)
Capitão: takeshi
Destaque: manajj
Classificação: 2º  lugar (300 pontos)
1ª Classificatória - Age Campinas: 2º lugar (75 pontos)
2ª Classificatória – ESL Open: 1º lugar (100 pontos)
3ª Classificatória – BGL Arena: 2º lugar (75 pontos)
4ª Classificatória – A Cartada Final: 3º lugar (50 pontos)

História 

Considerada uma das grandes potências brasileiras, a formação da CNB tem uma história que vem até de antes de League of Legends. Danagorn e takeshi se conheceram jogando RPGs online, e depois migraram para LoL. Eles sempre estiveram no mesmo time juntos, passando por equipes como Awake, Insight e Nex Impetus, até chegar à CNB. Já manajj e Alocs jogaram juntos desde quando entraram para a vTi.Ignis, na metade de 2012, e com este time foram campeões brasileiros no mesmo ano. Leko jogou com Alocs no final de 2011 e no primeiro semestre de 2012 em times como wWw e vG. Não importa onde estivessem, todos eles se conheciam por se enfrentarem em campeonatos e em filas ranqueadas tanto no servidor norte americano quanto no brasileiro.

Este time da CNB é conhecido por sua ótima habilidade com o jogo e um grande poder de marketing. Leko e manajj estão entre os streamers de maior destaque no cenário brasileiro, e frequentemente fazem transmissões de seus jogos para mais de 2000 pessoas. E uma boa parcela desses fãs deve comparecer para acompanhar o time ao vivo no Brasileiro.

Por ser um dos times principais, a vaga da CNB no Brasileiro era vista como certa. O time conseguiu pódio em todas as etapas classificatórias, acumulando um ouro, duas pratas e um bronze.

Na primeira etapa, perdeu a final para a Keyd. Na segunda, encontrou a mesma Keyd na final e deu o troco. Na terceira etapa, BGL Arena, uma recuperação emocionante e uma série de cinco partidas contra a paiN na final - mas a vitória não veio. Na quarta etapa, a CNB já estava classificada, mas buscava a primeira colocação no ranking. O time acabou caindo para a Keyd na semifinal, ficando com o segundo lugar geral (300 pontos).

A CNB chega ao Campeonato Brasileiro confiante. Ela não deixou o pódio das classificatórias em nenhum momento, e consegue bater de frente com qualquer equipe nacional. Reuniu-se em São Paulo na famosa CNB War Room para treinar intensivamente para o campeonato, com todos os jogadores lado a lado.

Jogador em destaque: manajj

André “manajj” Rocha está entre os principais carregadores e streamers brasileiros. Ele é conhecido pelo seu grande carisma nas transmissões e também pelo domínio do posicionamento do Campeão. No competitivo desde o final de 2011, manajj disputou a IEM-SP 2012 pela paiN Gaming e saiu da organização em maio de 2012, quando entrou para a vTi.Ignis, sendo campeão brasileiro. Com tantos torneios online e offline disputados, ele está acostumado com a pressão, e sua sinergia com o suporte Alocs é uma das grandes armas para esta dupla de rota bot ser bicampeã brasileira.

Pontos fortes

Experiência é o que não falta para o time. Com um repertório de Campeões agressivos na selva e conhecido por ficar muito tempo nos arbustos, Danagorn é um caçador que na maioria das vezes não desperdiça emboscadas, e sempre consegue abates ou assistências. O jogador mid takeshi ganhou o apelido de “sujo” devido a suas descidas constantes para emboscar a rota bot inimiga, normalmente acompanhado de Danagorn. Isto cria situações 4v2 ou 4v3 que são seguidas por derrubada de torres ou dragão. Jogando com Campeões de topo (entre assassinos ou grandes utilidades), Leko consegue equilibrar o ponto de proteger manajj ou atacar e zonear o carregador ou mid adversário, o que é fantástico nas lutas entre times para a CNB.

Pontos fracos

A fase de rotas provavelmente tem sua maior complicação no topo. Leko tem melhorado cada vez mais neste aspecto, mas como em todo outro campeonato offline, a pressão é grande - e assim como ele tem muitos fãs, também tem muita torcida contra tentando desestabilizá-lo. A equipe também precisa ter a cabeça no lugar: erros de chamadas de jogadas também podem acontecer, e foi isto que causou as derrotas contra a paiN Gaming na BGL Arena, como se estivesse acontecendo uma indecisão entre os jogadores. No Brasileiro, a comunicação não pode falhar.

____________

*Bruno "LeonButcher" Pereira joga League of Legends e acompanha o cenário competitivo brasileiro e internacional desde 2010. Começou a narrar partidas em 2012, e já foi o "caster" de eventos como o Showmatch Oficial de Abertura do Servidor Brasileiro, o Campeonato Brasileiro de 2012 e a Intel Extreme Masters São Paulo 2013.

Campeonato Brasileiro - Terceira Temporada

Site oficial: www.cblol.com.br
Quando:
 19 a 21 de julho, a partir das 9h
Onde: WTC Golden Hall - Avenida das Nações Unidas, 12551, Brooklin Novo, São Paulo - SP, 04578-903 (COMO CHEGAR)
Ingressos: R$ 20 por dia (COMPRE AQUI)


6 years ago


Conteúdo Relacionado