eSports em Taiwan: Como a “Ilha do Silício” cria campeões

Por: LeonButcher

A ilha tropical de Taiwan é geograficamente espremida por seus vizinhos ao Norte e ao Sul, mas apesar de a casa dos Campeões Mundiais da Segunda Temporada ser menor em tamanho, essa “Ilha do Silício” fica gigante quando falamos sobre games. A sua cultura e história formaram alguns dos melhores jogadores em diversos títulos e gêneros de jogos, com League of Legends sendo apenas uma das conquistas mais recentes.


Ilha Digital

Taipei, a cidade e capital de Taiwan, tem uma população total de 2.6 milhões de pessoas (censo de 2010) – pouco mais de um décimo da população total do país, com uma influência proporcional em sua cultura geral, e com uma penetração de internet de 74%. A cidade abriga a sede de inúmeros fabricantes de placas de circuito impresso (PCI) e notebooks, tem banda larga Wi-Fi onipresente, e as paredes da estação principal do metrô estão repletas de anúncios dos mais recentes jogos para celular.

A onipresença de seu mercado de telefonia nas ruas é similar ao de cidades como Seul e Tóquio, e as similaridades com essas capitais não termina aí. A influência japonesa na ilha é forte desde a Segunda Guerra Mundial, e persiste na forma da culinária, arquitetura e mídia. A estação principal de Taipei compartilha o mesmo complexo que o Shopping Subterrâneo, cuja entrada é dirigida por uma rede fast-food de sushi, vendendo pratos personalizáveis de nigiri para a multidão que passa pelos corredores diariamente.

Se você descer um pouco mais, vai achar que se transportou misteriosamente para o distrito de Akihabara, em Tóquio. Aproximadamente na metade do caminho, passando pelas bugigangas e sutiãs em promoção, as paredes são cobertas com banners de Destiny ou dos últimos jogos de Dynasty Warriors, com monitores de acrílico mostrando diversas imagens de animes e séries de jogos. Mais para o centro, ocupando os espaços mais chamativos, você verá telas planas gigantescas que mostram os últimos jogos de console, e o rugido de dezenas de fliperamas.

A complicada história multicultural de Taiwan e sua exposição à influência tanto do Ocidente quanto do Oriente está por todos os lados, incluindo o teoricamente “escapista” mundo dos jogos. A cultura e a comunidade otaku recebem influência direta das importações: enquanto pôsteres gigantes de Destiny e Titanfall replicam o que você veria em vitrines de lojas de jogos do Ocidente, em Taiwan eles dão um tratamento igual para o One For All, da Idolmaster, uma franquia que, para os ocidentais, é considerada nicho.

O cenário de arcades em Taiwan, que produziu figuras como Bruce “Gamerbee” Hsiang, é definitivamente mais oriental que ocidental, dominado basicamente por jogos musicais japoneses. Porém, no cenário de computadores, os últimos anos têm sido definidos por um título absoluto do Ocidente: League of Legends. League of Legends.


Comer, Dormir, Estudar, Jogar

Da Estação Principal de Taipei - uma construção monolítica cercada por pequenas boutiques eletrônicas, com os pilares de sustentação de um trecho da estrada nacional à vista -, você pega o trem até a Praça Digital Guang Hua. Devido às exigências de hardware relativamente baixas de League, é um pouco assustador ver cartazes de placa-mãe e pentes de memória prometendo a melhor experiência possível para jogar League of Legends, mas também é compreensível dado o impacto e a penetração de LoL e entre os fãs de jogos de PC na ilha. E, em Taiwan, computador domina.

“No geral, jogos que estão disponíveis em lan houses tendem a ser mais populares que outras platafomas pela cultura das lans”, explica o analista de eSports da Machi, Reazony. “Para entender isso, é importante saber por que lan houses funcionam bem em Taiwan ou em países do Oriente no geral”.

"Para as crianças, é quase obrigatório ficar em período integral na escola; mesmo as crianças no jardim de infância têm que ir nos dias de hoje", diz Reazony. O termo "PC", aliás, chega a ser um pouco impreciso, já que as famílias, geralmente, só possuem um “computador pessoal”, e ele fica na sala de estar – o que deixa implícito o controle dos pais sobre o acesso dos filhos.

Assim, a cultura de lan houses domina: ela evita a supervisão imediata dos pais, e o baixo custo de acesso permite a amigos jogarem juntos sem restrição. Porém, conforme os jovens crescem, vão trocando as não-raramente sombrias lan houses por um PC na própria casa. “Acho que deve ser 7:3”, chuta o Caçador Mountain, da Taipei Snipers, “70% joga de casa”.

A força da cultura oriental de lan houses é vista como o fator responsável pelo domínio da Coreia do Sul em jogos online, e uma das razões que possibilitou a Taiwan produzir jogadores como Sen em Starcraft 2. Ultimamente, no entanto, existe uma preocupação no ar: as grandes figuras da comunidade acham que só isso não vai ser suficiente para manter a relevância da região no cenário.


Torcida Fanática

“O que é isto?” respondeu GodJJ quando perguntado sobre WirForce, um evento offline recente que contou com a participação de seu ex-Suporte e capitão MiSTakE. A história e literatura da cultura de jogos de Taiwan também é bastante precária. O Topo da Taipei Snipers, Zonda, afirma (erroneamente): “O eSports começou em Taiwan quando a Taipei Assassins venceu a Segunda Temporada. Se eles não tivessem vencido, não acho que o cenário de eSports daqui teria decolado”.

“O cenário não tem uma OnGamers, Thinkpiece.gg, ggChronicle, Paravine e outros sites de conteúdo para providenciar boas coberturas e educar os fãs”, reclama Reazony. “É basicamente um monte de jogadores discutindo em algum fórum”. Ele explica que, apesar do sucesso notável da nação, a conversão de jogador para fã de eSports é relativamente baixa. O jogador padrão não acompanha a LCS e não pagaria por uma assinatura para assistir à OGN. Mais do que isso, a cultura coreana rivaliza negativamente com a perspectiva deles, e qualquer coisa envolvendo a China se transforma rapidamente em acaloradas discussões políticas. E essa situação não é exclusiva de League of Legends.

“O cenário definitivamente esfriou um pouco já que as equipes taiwanesas têm sido derrotadas com facilidades em palco internacional nos últimos dois anos, mas a própria cultura em si já um grande fator”, ele diz. “Quando uma equipe taiwanesa vence algum Campeonato Mundial em qualquer área, a mídia vai criar uma história fantástica ao redor de tudo isso, e o governo vai aparecer, dar um tapa nas suas costas e falar ‘você fez o povo de Taiwan ficar orgulhoso’. Entretanto, após toda a festa, os problemas de infraestrutura fazem com que criar novos talentos seja impossível”.

Suporte para o cenário amador existe, mas é bem frágil. “A LNL (LoL Nova League) é uma liga amadora que consiste de oito equipes, e assim como a GPL (Garena Premier League), existe premiação em dinheiro no final para sustentar as equipes. O circuito abaixo da LNL, no entanto, é muito instável”.

Reazony cita como destaque a ESR e a 4Gamers como circuitos não-profissionais, mas comenta que eles dependem muito mais de patrocínios em dinheiro do que os maiores, apoiados pela Garena.

Ainda assim, apesar de todos os problemas de um país com o cenário competitivo precário, Reazony está otimista quanto ao futuro. “Sei que a Garena planeja grandes coisas. Não posso falar muito, mas posso afirmar que estou muito animado como ano que vem. Se tudo prosseguir conforme planejado, o cenário pode dar um grande salto”.

Será que Taiwan consegue voltar a brilhar em palco internacional? Não restam dúvidas de que os seus jogadores são de nível mundial, com o relativo isolamento da ilha frequentemente beneficiando seu desenvolvimento. A estreia de Gamerbee na Evo 2010 forçou uma reconsideração de personagens fracos no Street Figher, e Sen é reconhecido pela inovação e desenvolvimento de jogadas de abertura com Zergs em Starcraft 2. A Taipei Assassins, honrando seu nome, bateu todos os oponentes em 2012 – os jogadores da ilha têm o hábito de superar as próprias expectativas, colocando Taiwan entre uma das forças mais dinâmicas e fragmentadas do cenário competitivo.

O desafio deles, por agora, é preservar esse espírito diante de adversários cada vez mais fortes.


5 years ago


Conteúdo Relacionado