Guia de Sobrevivência: Regional OGN

Por: LeonButcher

Você ficaria espantado ao encontrar uma pessoa que não concorde com o seguinte: a Coreia é a região mais forte competitivamente no League of Legends. Após a vitória da SK Telecom T1 K no Mundial da Terceira Temporada, as equipes coreanas continuaram sua dominância no cenário internacional. O intenso ambiente competitivo coreano mudou bastante desde o ano passado, com um novo panteão de equipes de elite substituindo times campeões.

Agora, a Coreia vira seus olhos para o Mundial 2014 de League of Legends. Num ano tumultuado, que virou o cenário competitivo coreano de cabeça para baixo, uma coisa permaneceu – a região e sua torcida não esperam nada além de mais um título mundial.

Visão Geral

O método de classificação coreana para o Mundial é visivelmente diferente da maioria das outras regiões, já que os pontos de circuito – e não torneios individuais – são usados para determinar os representantes. Estes pontos são obtidos por meio das performances das equipes nos maiores campeonatos. Especificamente, a OnGameNet Champions e a NiceGameTV League of Legends Battle são os torneios que dão pontos para os times com base na sua posição final.

No decorrer das três temporadas desse ano, a Samsung Galaxy Blue chegou ao topo disparado da classificação, principalmente devido à sua participação nas finais das temporadas de Verão e Primavera da OGN. Assim, eles asseguraram a primeira vaga da Coreia no Mundial, o que faz com que eles fiquem a salvo de enfrentar o primeiro lugar das outras maiores regiões (exceto Sudeste Asiático) na fase de grupos.

As Finais regionais acontecerão de 28 a 30 de Agosto em um formato parecido com o da Gauntlet chinesa. O sexto colocado no ranking da temporada, KT Rolster Bullets, enfrentará o quinto lugar, NaJin White Shield, em 28 de Agosto. O vencedor desta enfrentará a KT Rolster Arrows dia 29 de Agosto, e o ganhador desta disputará a última vaga coreana para o Campeonato Mundial.

Apesar de tudo isso parecer confuso, lembre-se de que obter uma posição alta no circuito da Coreia somente significa que a equipe terá que jogar menos séries para se classificar para o Mundial. Em todos os combates das Finais Regionais coreanas serão disputados em melhor de cinco, com os quatro primeiros jogos acontecendo em modo competitivo (com escolha e banimento de campeões) e, à moda coreana, o quinto jogo sendo decidido em modo de escolha livre, nos reservando grandes emoções.

História

Para examinar a história das equipes coreanas em Mundiais, é importante saber que um fato não muda desde a Segunda Temporada – espera-se que equipes coreanas vençam. Não só pelo pessoal do país, mas por jogadores do mundo inteiro. E quando olhamos para os resultados é fácil descobrir o porquê. A Coreia chegou em mais finais do que qualquer outra região, com a Azubu Frost ficando com o vice-campeonato na Season 2 e a SK Telecom T1 K conquistando a taça na temporada seguinte.

A Coreia teve dois representantes no Mundial da Segunda Temporada – NaJin Sword e Azubu Frost. A Azubu Frost era a maior esperança coreana, e foi enviada para o Grupo A para batalhar contra a Counter Logic Gaming Prime, Invictus Gaming e SK Gaming, enquanto a NaJin Sword se encontrou com Counter Logic Gaming EU, Saigon Jokers e Team Dignitas no Grupo B.

O esperado por todos aconteceu nestas partidas, com ambas as equipes coreanas limpando o grupo e passando com recorde de 3-0. Colocadas em lados opostos da tabela da eliminatória, tudo estava certo para um encontro coreano na grande final. Assim, os fãs assistiriam a NaJin Sword se digladiar com a Taipei Assassins na primeira melhor-de-três do campeonato.

O desastre começou imediatamente. As jogadas ofensivas, arriscadas e rotações da NaJin Sword esbarraram em um consistente time da Taipei Assassins, prova disso era Stanley dominando a estrela da equipe, MakNooN no topo. Enquanto isso, o meio da TPA, Toyz escapava de todas as emboscadas da Sword sem morrer sequer uma vez. A TPA prosseguiria no campeonato, batendo ainda a Moscow 5 para chegar à final.

Enquanto a campanha da NaJin Sword no Mundial foi parada abruptamente, a Azubu Frost batalhou seu caminho vencendo a Team SoloMid, primeiro colocado da América do Norte, por 2-0. No segundo confronto, a Frost enfrentou a Counter Logic Gaming EU, um reencontro interessante visto que a Frost havia vencido o último confronto por 3-2 na OGN Champions Verão de 2012. No Mundial, mais uma série apertada e vitória por 2-1, provando a superioridade sobre o time europeu.

O último teste da Coreia era a Taipei Assassins – uma equipe que já havia eliminado uma equipe do país. O primeiro jogo foi controlado de perto pela Frost, e eles levaram o disputado jogo com uma excelente desempenho de Rapidstar com seu Karthus. Mas esta seria a última vitória deles na temporada. Nos jogos restantes, o meio e capitão da TPA, Toyz, provaria o porquê de ter a Orianna mais temida do mundo, e assim a equipe Taiwanesa virou a final e levou a Taça do Invocador para casa.

Foi somente no Campeonato Mundial da IEM 2013 que a região coreana recomeçou a ganhar força. As três equipes classificadas – CJ Entus Blaze, CJ Entus Frost e SK Telecom T1 – todas finalizaram o campeonato entre os quatro melhores colocados. A Blaze eventualmente seria a campeã em jogo contra sua equipe irmã, com uma boa performance to topo Flame.

Com a introdução da LCS, a competição internacional deu um passo atrás para as regiões se desenvolverem. E a Coreia não ficou para trás nisso, com dois nomes agora famosos entrando em cena no cenário coreano de League of Legends: MVP Ozone e SK Telecom T1 K. Para a Ozone, a jornada deles para o Mundial da Terceira Temporada foi uma que deveria ser impossível. O time teve uma história tumultuada no mínimo, mas a vitória deles sobre a CJ Entus Blaze na OGN Champions na Primavera de 2013 os catapultou para o palco internacional.

Já a SK Telecom T1 K enfrentou a KT Rolster Bullets em duas melhores-de-cinco consecutivas – primeiro na Ogn Champions Verão 2013 e depois nas Finais Regionais. Vitoriosa nas duas séries, a equipe novata que rondava o cenário coreano por mais ou menos um ano conquistava sua vaga para o Mundial da Terceira Temporada, enquanto a NaJin Black Sword definiu sua vaga vencendo a OGN Champions no Inverno de 2012-13.

O Campeonato Mundial estava em curso, e os fãs coreanos imediatamente reviveriam a experiência de ter uma equipe forte sendo eliminada. Desestabilizada por atualizações do jogo, problemas com patrocinadores, um novo jogador no topo e a perda de toda a equipe de treinadores e analistas, a Samsung Galaxy Ozone falhou em se classificar na fase de grupos, caindo pelas mãos da Gambit Gaming no desempate.

A SK Telecom T1 K, pelo outro lado, saiu com glórias da fase de grupos, coletando apenas uma derrota para a forte equipe chinesa OMG (derrota que foi atribuída à Impact, topo da SKT T1 K, passando por problemas estomacais durante o jogo). Uma vitória sem muito esforço sobre o campeão do Sudeste Asiático, Gamania Bears, deu um gostinho de vingança pela Segunda Temporada, enquanto a NaJin Black Sword dispensava a Gambit Gaming em uma desconfortável série vencida por 2-1. Isto colocou as duas equipes coreanas frente a frente, para desgosto dos fãs que preferíam uma final coreana.

Enquanto muitos espectadores esperavam que a NaJin Black Sword cedesse facilmente, o meio deles, Nagne, não se curvaria facilmente e provou isso testando Faker (meio da SKT T1 K) ao seu limite controlando Gragas. No final das contas a SK Telecom T1 K emergiu vitoriosa, e prosseguiu para a final detonando a Royal Club, da China, por fáceis 3-0.

As equipes coreanas tiveram duas grandes performances internacionais em 2014 – a IEM Katowice e o All-Star Paris. Inclusive, as equipes coreanas ainda esperam a primeira derrota do ano. Interessantemente, duas equipes em momentos turbulentos conquistaram estes torneios – a KT Rolster Bullets levou a IEM mesmo com o Caçador InSec voltando ao time após performances horríveis, enquanto a SK Telecom T1 K venceu o All-Star após perder na Coreia a OGN para a Samsung Blue.

Para os representantes coreanos em potencial para o Mundial deste ano, não há desculpas. Não existem problemas administrativos, mudanças no time titular, má sorte no sorteio das tabelas, nada. Só cabe às equipes coreanas pegar a coroa que eles acreditam merecer.

Estilo de Jogo

  • Uma vez uma região que seguia tendências, a Coreia adotou estratégias de equipes estrangeiras e as refinou para serem letais. Agora, a região é líder em inovação de estratégias de League of Legends. A maioria das equipes devem o desenvolvimento estratégico para as equipes coreanas, ao ponto de analistas, técnicos e até jogadores coreanos serem contratados por equipes de fora do país (como a paiN Gaming, Keyd Stars e Team 58ers no Brasil). Seja qual for o caso, é inegável que o estilo de jogo coreano influencia a todos.

  • Sinergia de Equipe

    Este vídeo acima pode ser uma das melhores sequências de League of Legends de todos os tempos. É a definição de sinergia de equipe, algo inserido nas veias de times coreanos desde a sua criação. Com 11 minutos, a SK Telecom T1 K pressiona e destrói quatro estruturas em uma sequência de abates e revesamento de dano recebido pela torre muito bem calculado. De onde vem esta sinergia, e como ela é desenvolvida?

    Os times coreanos colocam grande ênfase em jogo de equipe – é dito com frequência que um bom time de League of Legends consiste de cinco companheiros de equipe jogando como se fossem uma só pessoa. Times coreanos funcionam como times também fora do jogo, onde vivem, comem e treinam juntos em gaming houses com excelente infraestrutura. Ainda assim, isto não é uma dinâmica unicamente coreana, visto que a maioria das equipes também utilizam gaming houses nos treinos.

    Na verdade, o que faz isso ser diferente na Coreia é a estrutura autoritária com que a gaming house é regida pelos treinos e equipe, o que serve para desenvolver um bom jogo em equipe. Cada equipe coreana atribui o controle da casa para o quadro de funcionários, com o técnico chefe focando no desenvolvimento dos jogadores. Decisões para mudar a equipe titular são pensadas com o foco no jogo em equipe, e jogadores que não se dão bem nunca jogarão juntos. Por mais clichê que possa soar, os melhores times da Coreia formam laços quase que de família entre os seus jogadores.

  • Seleção de Campeões

    O segundo aspecto do League of Legends coreano que distingue as equipes do país é a maestria com que “jogam” a Seleção de Campeões. Embora não seja o aspecto mais glamoroso do estilo de jogo coreano, a habilidade com que as equipes constroem situações para vencer durante a fase de escolhas e banimentos é significante.

    Observe a primeira escolha da Samsung Galaxy Blue. Prosseguiremos sem dizer que o Kassadin é uma escolha poderosíssima nas mãos certas, para a extensão de que ele é banido constantemente por equipes que estão do lado roxo/vermelho. Ainda assim, a força do Kassadin é contraposta por sua fase de rotas relativamente fraca. Como campeão de combate corpo-a-corpo, o Kassadin é extremamente vulnerável a emboscadas antes do nível 6 – e de fato, a KT Rolster Arrows é consciente disso.

    Escolhendo Ryze e Kha’Zix, os Arrows colocam uma resposta imediata contra a escolha de Kassadin pela SG Blue – emboscadas logo cedo. O dano que ambos os campeões conseguem causar combinados com a segurança de um controle de grupo por parte da Prisão de Runas do Ryze resultam em um perigo em potencial para qualquer meio inimigo. Ainda assim, Ryze e Kha’Zix não são particularmente fortes contra campeões da linha de trás por seu alcance baixo de iniciação. A resposta da Blue, portanto, é pegar a Nami e o Kog’Maw, uma dupla poderosíssima (mas vulnerável) que é capaz de destruir em estágios mais tardios do jogo.

    Isto é somente uma palhinha de como as equipes coreanas são capazes de reagir durante a Seleção de Campeões. Em duas rotações do draft a Samsung Galaxy Blue já impuseram duas condições de vitória – a combinação do poderio tardio do Kassadin e do Kog’Maw. Ainda sobre isso, eles colocaram os Arrows em uma situação desconfortável. É este o tipo de maestria na Seleção de Campeões que as outras equipes ainda devem se equiparar para não entrar no jogo já em desvantagem estratégica.

Times

  • Samsung Galaxy Blue - 1º Colocado

    Em 2014, nenhuma equipe na Coreia teve desempenho tão bom quanto a Samsung Galaxy Blue. Por um longo tempo, a Blue sofreu e ficou nas sombras da equipe irmã Samsung Galaxy White. Sua caminhada para o topo, entretanto, começou na classificatória coreana para a World Cyber Games (WCG), onde eles eliminaram os campeões mundiais SK Telecom T1 K por 2-0.

    Desde então eles mantiveram a constância, subindo os rankings da Coreia até finalmente chegar à vitória na final da OGN Champions Primavera 2014 sobre a NaJin White Shield. Em posição para conquistar mais um título, desta vez na OGN de Verão, eles acabaram caindo no último minuto para uma feroz KT Rolster Arrows.

    O estilo de jogo da Blue é caracterizado por uma impecável transição do meio para o final do jogo, com chamadas de jogadas inteligentes e uso do Teleporte. Embora não sejam a equipe mais forte da Coreia no começo da partida, a Blue possui um pensamento rápido e muito eficiente pelo qual eles fazem suas decisões. Tudo colabora, do trabalho duro do suporte Heart, que comanda a visão da equipe na batalha, para o meio Dade, um jogador com força explosiva, ultrapassando até o nível de Faker em um bom dia (embora pareça extremamente fraco quando não está num bom dia).

  • Samsung Galaxy White - 2º colocado

    Provavelmente uma das equipes mais consistentes na história da Coreia, a Samsung Galaxy White tem sido uma das melhores equipes desde a sua histórica vitória sobre a CJ Entus Blaze na OGN Champions Primavera 2013. Tendo isso dito, o seu histórico em palco mundial não é bonito, com uma atuação fraquíssima no Mundial da Terceira Temporada, sendo eliminada na fase de grupos.

    É difícil apontar o que realmente segura a White de bater a Blue, mas é de se notar que a White constantemente vence a SK Telecom T1 K ao curso dos últimos meses (e também possuem um recorde positivo contra a rival, coisa que nenhuma outra equipe possui). A história certamente está do lado da White para eles conseguirem o segundo assento coreano para o Mundial, mas nunca se tira a SKT T1 K de jogo somente com estatísticas.

    O principal pilar da Samsung Galaxy White é o caçador DanDy, que manteve sua reputação como um dos melhores de sua posição na Coreia desde sua estreia. Sua habilidade sobrenatural de prever os movimentos do caçador adversário baseado no comportamento das rotas adversárias fez com que a White conquistasse diversas vantagens logo no começo dos jogos. No entanto, autoconfiança em excesso é certamente a principal fraqueza da equipe, e isso pode ser mortal nas Finais Regionais da Coreia, ou até no Mundial 2014. A White precisa tomar cuidado para não jogar pelo ralo as vantagens que conquista tão bem no começo das partidas.

  • SK Telecom T1 K - 3º colocado

    Uma equipe que não precisa de introdução, a SK Telecom T1 K mira seus objetivos no retorno para o Campeonato Mundial, buscando sua segunda vitória. No entanto, desde seu triunfo na OGN Champions no Inverno de 2013-14, a T1 K parece ter perdido seu diferencial. Esta queda parece ter começado quando o suporte PoohManDu saiu da equipe titular temporariamente por questões de saúde, e desde então, o único primeiro lugar que eles conseguiram foi na NLB Verão 2014, um campeonato secundário na Coreia.

    Com isso dito, Faker tem demonstrado grandes atuações recentemente, sendo o grande destaque nos últimos jogos e carregando sua equipe por uma parte negra de sua carreira. O atirador Piglet ainda é o segundo maior perigo para os adversários, e sua ética de trabalho paga seus dividendos neste empate em pontos de circuito chegando à Final Regional Coreana. O maior problema que a T1 K tem no momento é facilmente PoohManDu, que tem ficado muito aquém de suas performances no passado.

    Contra a Samsung Galaxy White, a T1 K deverá cavar fundo e encontrar um jeito de maximizer a força de Faker. Se não conseguirem se classificar diretamente para o Campeonato Mundial, a T1 K precisará ainda passar das Finais Regionais, com os rivais da KT Rolster Arrows no meio. O caminho deles para o Mundial pode não ser tão fácil quanto no ano passado, mas se eles conseguirem passar por cima disso, é impossível prever onde irão parar.

  • KT Rolster Arrows - 4º colocado

    Vindo de uma vitória na OGN Champions Verão 2014, a KT Rolster Arrows pode legitimamente dizer que é o melhor time na Coreia no momento. Uma mistura de novos talentos com veteranos tarimbados, a Arrows tem um dos maiores entendimentos das mecânicas do começo do jogo em todo League of Legends. Ainda mais perigoso, ainda são uma equipe não refinada, imperfeita. O potencial neste time é impressionante e existe muito mais espaço para melhora.

    A Arrows é conhecida por saber como perder partidas que estava na mão deles, tudo devido ao modo destemido como jogam. Isto foi muito aparente na partida da semifinal na temporada de Verão contra a SK Telecom T1 S, quando dois jogos foram perdidos por decisões erradas por parte da equipe.

    KaKAO é a base do que é a Arrows, sendo o principal fator por trás do impecável começo de jogo da equipe e, discutivelmente, o melhor caçador da atualidade. Qualquer sucesso que a Arrow consiga, escalando-a para as partes tardias do jogo, pode ser creditada ao olho afiado de KaKAO em explorar todas as possibilidades de iniciar uma luta ou vantagem em algum lugar do mapa, bem como seu estilo metódico em emboscar adversários. O topo ssumday é um parceiro de longa data de KaKAO, e combina muito bem com ele em todos os aspectos do jogo.

  • NaJin White Shield - 5º colocado

    A NaJin White Shield deu seu grande passo neste ano de 2014, chegando à grande final da OGN Champions Primavera 2014. Entretanto, seu jogo estagnou depois, e eles parecem não conseguir sair de seu estilo típico de pressionar o adversário em duas rotas simultaneamente. Como o topo da CJ Entus Blaze, Flame, disse, as equipes parecem ter descoberto como jogar contra a NaJin Shield, o que explica muito da letargia recente da equipe.

    Ainda assim, os perigos que a Shield oferece aos adversários não viraram menos perigosos através de tantas mudanças no jogo. O topo Save permanece como um dos melhores da Coreia na posição, com um quase-perfeito entendimento da mecânica de pressionar rotas diferentes do adversário. Soma-se isso ao fato de o caçador Watch trazer muita experiência para a equipe, tendo participado de dois Mundiais jogando pela NaJin (Black) Sword.

    Os pedaços estão aí para a NaJin White Shield coletar, e realisticamente falando, a partida deles contra a KT Rolster Bullets deve ser relativamente fácil. Entretanto, desde que saíram das melhores equipes coreanas, eles não tiveram muito sucesso em voltar. As Finais Regionais serão mais uma chance para isso.

  • KT Rolster Bullets - 6º colocado

    Se existe somente uma equipe nas Finais Regionais coreanas que é atípica do molde do país, é a KT Rolster Bullets. Conquistando uma vaga na classificatória para o Mundial através de uma atuação decente na OGN Champions Inverno de 2013-14, a Bullets desde então mudou diversas vezes sua equipe titular, incluindo a dispensa dos veteranos Ryu e Mafa da equipe.

    Entrando como caçador está o ex-jogador da Quantic, Prime, enquanto o recruta vindo das filas ranqueadas, Destiny, será o novo suporte. A Bullets não conseguiu ser bem-sucedida recentemente com sua nova equipe, sendo eliminada da NLB para a relativamente fraca Jin Air Falcons. Ainda assim, ainda existem certas peças que podem dar trabalho para os adversários, como o meio Nagne e seu histórico já tendo vencido Faker no Campeonato Mundial. O capitão e atirador Score é um dos jogadores mais consistentes (e criativos) da Coreia, e é essencial para a Bullets que ele consiga um bom desempenho.

    As coisas não parecem muito boas para a KT Rolster Bullets, mas existe luz no fim do túnel – eles têm os atuais campeões coreanos como parceiros de treino. Com treinos regulares contra a irmã Arrows, eles podem aumentar seu nível e dar mais trabalho.

Não importa como a tabela da Coreia progrida, certamente as três equipes que conquistarem as vagas para o mundial estarão entre as mais temidas da fase de grupos. Os jogos começam no dia 27 de Agosto, quando a Samsung Galaxy White e a SK Telecom T1 K se enfrentarão pela segunda vaga; e se concluem no dia 30 de Agosto, quando o perdedor desta partida batalha com o vencedor da Gauntlet coreana pelo último assento.


5 years ago


Conteúdo Relacionado