A surpreendente cultura de eSports da Coreia

Por: LeonButcher

A Coreia é uma nação orgulhosa que preza muito por desempenhos fortes e vencedores, uma mentalidade que alçou seus jogadores profissionais à vitória em palco internacional diversas vezes. Com o Campeonato Mundial 2014 de League of Legends sendo disputado em Seul, capital da Coreia do Sul, os fãs locais acompanharão suas equipes favoritas com uma cautela otimista, ansiosos para que a Copa do Invocador fique no país por mais um ano. Afinal, é simplesmente natural que uma equipe coreana ganhe o Mundial - e é o que se espera deles.


Não Tão Diferentes

A dimensão do eSports na Coreia é, com certeza, a maior no mundo. Locais imensos como o Busan Bexco Stadium e a Haeundae Beach são constantemente invadidos por milhares de fãs ansiosos para ver suas equipes em ação. Quando consideramos o sucesso de jogadores coreanos em diversos jogos, é fácil para um torcedor estrangeiro ver a Coreia como um paraíso de eSports. Um lugar onde os jogadores de videogame profissional são tão aclamados quanto as maiores estrelas do futebol.

O governo coreano também está alinhado com os jogos competitivos e tem até um departamento que rege o eSports, chamado Korea e-Sports Association (KeSPA). Patrocinadores famosos como Samsung, SK Telecom e Korea Telecom (três das maiores companhias da Coreia - imagine o Google ou a Amazon patrocinando uma equipe de eSports) participam ativamente do apoio a organizações e times de eSports, desde a formação de uma gaming house até a contratação de técnicos e compra de equipamentos. Com isso em mente, dificilmente alguém pode ser culpado por pensar que eSports é uma parte normal e bem aceita da cultura coreana.

Jogar é, sem dúvida, uma parte importante da cultura jovem da Coreia - muitos estudantes podem ser encontrados gastando seu precioso tempo livre em "PC Bangs", ou lan houses, primariamente focadas em jogos online. League of Legends é atualmente o jogo mais jogado nesses locais na Coreia, mas a proporção de jogadores de League of Legends que também são dedicados fãs de eSports, de acordo com o colaborador global da OnGameNet Michael "Chexx" KieferGaming, é até baixo. "A maioria dos fãs, na verdade, são casuais. Existem alguns fãs mais hardcore - inclusive algumas garotas que são fãs dedicadíssimas, como você pode ver nas transmissões da OnGameNet - mas eles são tranquilamente a minoria".

Parece chocante que uma indústria que parece ser tão grande pode ter um mercado tão pequeno. No entanto, a realidade é que eSports é um nicho no mercado da Coreia, mesmo com seu grande tamanho. A razão para isso, de acordo com Chexx, é no foco pesado em educação por parte da cultura Coreana - o que deixa pouco espaço (e tempo) para as pessoas jogarem profissionalmente.

"Fãs ocidentais romantizam bastante como os eSports são notados na Coreia. No país, a educação é a coisa mais importante, especialmente do começo do colegial até o final da universidade. O eSports não é considerado uma carreira tão prestigiosa na Coreia, com todos os pais felizes em ver sua criança correr atrás de uma carreira em jogos e atrasar seus estudos", admite Chexx. Não é tão difícil ver o porquê. Mais de 50 milhões de pessoas vivem na Coreia, e apenas 80 indivíduos se encontram em uma equipe no campeonato da OGN Champions, fazendo com que jogar League of Legends profissionalmente seja uma carreira de alto risco.

Com relação a isso, fãs Coreanos de eSports não são tão diferentes dos fãs ocidentais. Eles são uma pequena mas fanática multidão, com esperanças de que jogar profissionalmente ganhe mais tração e vire algo normal na sociedade de hoje em dia.


Conectando uma Nova Geração

Estudantes do colegial não ganham férias, exatamente, explica Chexx. "O dia regular de escola dura entre 9h e 21h devido às lições de casa. Como o ano da escola é finalizado, eles ainda precisam comparecer à "escola de férias" de maneira a permanecerem competitivos", diz, a respeito da juventude Coreana. A diferença entre a vida habitual de um estudante e de um jogador profissional é vasta, e muitos estudantes encontram em seguir o eSports uma maneira de realizar os seus desejos.

Chexx ainda se surpreende pela nova geração de fãs de eSports que nasceu na Coreia devido à influência do League of Legends. "Após os conflitos sobre direitos de transmissão do StarCraft serem resolvidos pela KeSPA e a Blizzard, um grande vazio apareceu no eSports da Coreia. Todos os antigos jogadores de Brood War (expansão de Starcraft) estavam aposentados, então não havia ninguém com quem a nova geração pudesse se conectar". Com o avanço do League of Legends na Coreia, uma nova safra de jovens jogadores surgiu - e que quebravam esse déficit no relacionamento com outros jogadores.

Profissionais como Lee “Faker” Sang-hyeok e Kim “Deft” Hyuk-kyu são, literalmente, um em um milhão. Tendo estudado no mesmo colegial, Faker e Deft escolheram deixar os estudos de lado para perseguir uma carreira no eSports. Para muitos jovens na Coreia, jogar em equipes ilustres como SK Telecom T1 K e Samsung Blue seria um sonho se tornando realidade.


Máquina de eSports

Apesar de parecer um dado considerando a natureza do eSport, a internet tem sido instrumental em atingir as audiências da área. Embora estações como a OnGameNet transmitam eventos de eSports pela televisão, Chexx nota que "a maioria dos fãs consome o conteúdo criado por meio de seus smartphones enquanto estão na escola ou no trabalho". O crescimento nas streams coincidiu com o declínio de eSports televisionados, assinalando uma distância dos dias em que torneios de Starcraft eram assistidos em rede nacional quase que por completo.

Apesar disso, o eSports não está necessariamente relegado aos canais alternativos. Apesar de ainda faltar cobertura de mídias mais tradicionais, os últimos acontecimentos do mundo do eSports podem ser vistos nos sites de notícia mais tradicionais. "O maior passo recente em legitimizar o eSport em mídia tradicional foi uma ação do presidente da KeSPA em adicionar uma aba de eSports no Naver", Chexx emplica. Naver é, basicamente, a resposta da Coreia para o Google, e esse movimento é muito maior do que parece. A aba de eSports é acompanhada por links para as transmissões e calendários para próximos jogos e eventos, permitindo que mesmo quem não segue o cenário competitivo saiba rapidamente o que está acontecendo no mundo dos eSports Coreanos.


Nadar ou Afundar

Com todo o otimismo em torno do aumento do volume dos esports na Coreia, pode ser fácil esquecer o quão cruel essa indústria realmente é. Os times (e jogadores) mais populares na Coreia são aqueles que conseguem manter o sucesso no maior nível de jogo. O narrador da OnGameNet e ex-Caçador da Azubu Frost, Lee "CloudTemplar" Hyun-woo, sabe bem o quão competitivo pode ser o cenário Coreano. "A Coreia é, fundamentalmente, um país com uma forte mentalidade em que somente o primeiro lugar é reconhecido. Em todas as áreas é assim".

Só há um caminho para um jogador profissional garantir seu reconhecimento na Coreia - vitória. "A atitude 'não importa como' é enfatizada. Não existe nada a não ser ir bem. É como colocar a sua vida em linha com o jogo", reflete CloudTemplar. Fãs Coreanos trocam a torcida para as equipes com frequência, e para a maior parte, a única coisa que define uma equipe popular para uma não-popular é a performance delas. "Todos da nova geração sabem quem é Faker, e definitivamente sabem quem é a SK Telecom T1 K e a Samsung Galaxy Blue e White, mas as outras equipes não são tão famosas assim. Talvez a única exceção seja a CJ Entus Frost (vice-campeã mundial em 2012)".

Apesar de os fãs da Coreia parecerem inconstantes, quando se trata de competições internacionais eles estão 100% ao lado de seus compatriotas. O sonho 'Campeonato Mundial' para os fãs Coreanos é que uma equipe da Coreia não perca sequer uma partida para equipes estrangeiras, como é repetidamente dito no Inven, o maior site sobre jogos da Coreia (e ecoado por representantes Coreanos no Mundial). Com um recorde combinado de 35 vitórias e 3 derrotas desde as quartas-de-final do Mundial 2013, os fãs de eSports da Coreia estão bem no seu caminho de ver o desejo realizado.

Nas próximas semanas, milhares de estudantes do colegial estarão colados em seus smartphones durante o almoço, assistindo às últimas melhores jogadas do Mundial. Outros milhares de estudantes navegarão pelo Inven a caminho de casa, discutindo as estratégias das suas equipes favoritas. Seja como for, a paixão e o desejo deles de ver equipes coreanas dominarem o mundo é o que os une como fãs Coreanos de eSports.


4 years ago


Conteúdo Relacionado