Pergunte à Riot: O fator "sensualidade"

Por: Rumtumtummers

Boas vindas ao Pergunte à Riot!

Essa semana falaremos sobre Campeãs sensuais, arte, animação e competição com outros MOBAs. Ah, e lembre-se: o primeiro aniversário do Pergunte à Riot está chegando (em algumas semanas) e, para comemorar, teremos Marc “Tryndamere” Merrill e Brandon “Ryze” Beck, os co-fundadores da Riot e co-criadores do League, respondendo um monte de perguntas. Se você quer perguntar algo para os caras que começaram isso tudo, a hora é essa! O aniversário do Pergunte à Riot acontecerá Em Breve (tm).


Quando vocês farão mais Campeãs sensuais?

Falei sobre isso recentemente no Reddit, então vou colar a resposta aqui:

Em 2013, nos esforçamos para sair do padrão “corpo violão” que usamos por anos. Havia diversas mulheres no jogo que poderiam ser descritas como “Igual a Syndra, mas vestindo outra roupa”. Precisávamos de coisas diferentes. Existem diversas maneiras de construir personagens femininas e interessantes sem precisar apelar para a sensualidade. Da maneira que vejo, ter diversos Campeões e Campeãs diferentes é algo ótimo para nós. Isso nos permite atingir diferentes nichos, o que é bem importante quando se tem um grupo grande de personagens como o nosso.

Dito isso, faz bastaaaaaaante tempo (mais de 3 anos) desde a última vez que fizemos uma campeã sensual (como Lux, Ahri ou Jinx). É importante fazermos outras, mas não por conta do “EITA NÓIS SENSUALIDADE”, mas porque o pensamento “Isso é atraente” faz parte de uma fantasia compartilhada por muitos jogadores (tanto homens quanto mulheres). O importante é que o(a) personagem FAÇA SENTIDO. O visual de uma Campeã deve apoiar sua temática, e não substituí-la. A aparência de Caitlyn não encaixa bem com a temática de uma xerife arrumadinha. Já o visual de Ahri faz muito sentido para uma súcubo.

Também é importante reconhecer que mesmo dentro do espaço de “personagens atraentes”, existe uma variedade grande de maneiras que essa sensualidade pode se expressar (por isso usei Lux, Ahri e Jinx no exemplo acima). Contanto que o visual da Campeã faça sentido com sua temática, não precisamos ter medo de seguir um caminho “sensual”. League tem espaço para todo mundo.

Jinxylord, Designer de Campeão

Qual é o plano para fazer com que League continue competitivo em relação a outros MOBAs? Existem outros jogos com configurações e mecânicas parecidas.

No fim do dia, achamos bacana quando existem diferenças entre os MOBAs. Isso permite que os jogadores escolham aquele que se encaixa melhor em seu estilo de jogo em vez de se contentarem com jogos iguais com pequenas diferenças. Por exemplo: alguns jogadores gostam de dar golpes finais, mas outros nem ligam para isso. Alguns jogadores desejam o potencial de administrar e carregar, enquanto outros preferem jogar uma partida onde o time inteiro perde ou ganha junto. Embora alguns elementos do MOBA (como rotas e torres) possam parecer universais, existem oportunidades para ser diferente. DOTA possui Carregadores. HOTS tem Árvores de Talento.

Abriríamos uma exceção se alguma coisa acontecesse (como um novo recurso, design ou maneira de enxergar o jogo) e evoluísse o gênero como um todo, se tornando a nova referência. Muitos MOBAs (como o League), por exemplo, possuem um sistema de espólios, e isso acontece porque os jogadores desejam esse recurso. Não consigo prever qual seria essa coisa (um editor, um modo PvE, um novo sistema de progressão?). Se fosse algo bom para o jogo e que os jogadores quisessem, nós consideraríamos adicionar ao League também em vez de adotar uma postura teimosa e não fazer nada.

Ghostcrawler, Diretor de Design de Jogos

Quais são os softwares usados por artistas e animadores? Vocês recomendam algum deles para quem está focado em aprender e deseja trabalhar na indústria/Riot?

O software varia de acordo com o estúdio, mas os programas mais utilizados são Maya, Zbrush, Unreal, Unity, Photoshop etc... Muitos artistas também contam com softwares próprios que artistas aprendem a usar depois da contratação. O mais importante é entender os princípios artísticos básicos, nivelar o que você sabe com o nível médio da indústria e comunicar suas decisões artísticas de maneira eficiente.

Resumindo: aprender os softwares comuns utilizados na indústria é um bom começo, mas a qualidade do que você sabe e conseguir determinar como seu conhecimento se encaixa em diferentes cenários é o que importa. Você sempre pode aprender novos programas se tiver uma base forte, e as empresas que procuram artistas estão olhando mais para o seu trabalho do que para os softwares que você domina.

Obiwunkenobi, Diretora de Operações de Arte


Tem uma pergunta? Vá até o Pergunte à Riot e acesse sua conta do League. Confira o que pode e o que não pode e envie sua pergunta.

Pergunte à Riot

Prometemos ler todas as perguntas, mas não garantimos que todas elas receberão respostas. Algumas perguntas podem já ter sido respondidas em outro lugar ou não são apropriadas para o Pergunte à Riot. Este não é o lugar ideal para anunciar novos produtos ou recursos, e os assuntos que já foram discutidos a fundo em outros espaços provavelmente serão ignorados (mas podemos esclarecer pontos individuais).

Apesar disso, estamos sempre ouvindo, então continuem perguntando. Vamos garantir que suas perguntas sejam vistas por Rioters que estão trabalhando nas coisas que vocês têm curiosidade.


7 months ago

Marcado com: 
Miss Fortune, Ask Riot