Bardo:

Comemorando o

Aniversário

Blog de Clarividência

Um Menino e seu Bardo

O aniversário de um ano do Bardo é agora em março. Como um jogador do Bardo que passou mais de 400 jogos ignorando os gritos de meus parceiros de rota enquanto eu vagava, eu senti que devia algo a esse velho músico por todas as jornadas que fizemos juntos. Mas, apesar das incontáveis excursões pela selva e mipes lançados, o Bardo permanece um enigma para mim. Quem ele realmente é? E como ele se encaixa entre os outros Campeões de suporte? Eu pensei que talvez pudesse analisar alguns dados para ter uma ideia do que poderia me ajudar a entender melhor o Protetor Andarilho.



Protetor Cósmico

A primeira coisa que eu queria investigar era a identidade dele como Protetor. A maneira mais fácil de preparar essa investigação era uma simples comparação entre cura e dano causado: Santuários do Protetor x Prisões Cósmicas. Eu precisava colocar o resultado de cura/dano do Bardo em contexto com os outros campeões de suporte, então eu criei o Banana-Burn Index (BBI) (ou Índice Banana-Fogo, que seria IBF).


Metodologia
O BBI é a medida da diferença entre a cura e o dano de um Campeão de suporte. Em resumo, em uma escala de Soraka a Brand, você está lançando bananas ou disparando fogo? O BBI é calculado usando o valor absoluto do dano de um suporte em campeões adversários e subtraindo a cura média de Campeões aliados (incluindo o próprio suporte).


BBI = | dano a campeões inimigos - cura de si próprio e de campeões aliados |

  • Dano positivo
    Se dano > cura, o Campeão fica do lado direito do índice

  • Cura positiva
    Se cura > dano, o Campeão fica do lado esquerdo do índice

Do lado direito, temos Campeões como o Brand, que é conhecido por deixar seus parceiros de rota furiosos roubando as mortes deles com danos enormes. Do lado esquerdo, temos Soraka, que enraivece a equipe inimiga inteira com curas de último minuto em seus carregadores. Embora não seja a métrica perfeita para proteção (utilidade, CC e outras habilidades relevantes não estão incluídas), o BBI nos dá pelo menos uma visão geral dos resultados primários de um suporte.

O Índice Banana-Fogo


Se pensarmos de um “protetor” como alguém que cura os outros, o Bardo é ultrapassado por Soraka, Taric e Nami. Mas o Bardo é um protetor cósmico, então talvez mexer com as peças do espaço e tempo necessite de um equilíbrio entre cura e dano. Ele fica em 9º lugar de 25 em cura e em 10º lugar em dano, o que o coloca bem no meio do BBI. Nessa perspectiva, o Bardo cuida de qualquer questão que seja necessária para a situação.

Essa análise suporta a noção do Bardo como um Protetor Cósmico que não só salva coisas, mas também destrói coisas (como a fé da equipe na minha habilidade de usar ultimates). Às vezes, os Campeões precisam de um santuário de amor e às vezes eles precisam de uma prisão repreensiva.



Refletindo sobre Andarilhar

A história do Bardo nos diz que ele “viaja por reinos além da imaginação de seres mortais” e, no jogo, ele é descrito como o “suporte andarilho”. Mas tanto sua passiva (Chamado do Viajante) quanto seu E (Jornada Mágica) incentivam o movimento rápido pelo mapa. Mas a história e o kit do Bardo, dentro do jogo, se manifestam como um suporte andarilho? Mais especificamente, quanto o Bardo percorre em comparação com os outros Campeões de suporte?


Metodologia
Nós precisamos saber a área que um campeão tipicamente cobre na fase de rotas no Summoner’s Rift. Para testar isso, eu criei os Rovals (Roaming Ovals, ou Ovais de Movimento). Os Rovals representam a área média em que um campeão se move durante a fase de rotas. Quanto maior o Roval, maior a probabilidade de que o Campeão esteja saindo da rota.




O Roval é criado da seguinte forma:

  1. Sabendo essa posição de rota média de um determinado Campeão. É a média das posições X e Y para um campeão durante a fase de rotas.

  2. Encontrando as distâncias X e Y médias. Elas são a quantidade média de movimento nos eixos X e Y da posição média de rota.

  3. Calculando uma área com as diferenças médias de X e Y como a altura e o comprimento de um oval.

Áreas de Roval por tipos de suporte

Por unidades2


Cuidadores são aqueles que tipicamente pegam você pela mão na rota de baixo. Campeões como Soraka, Janna e Sona têm Rovals menores, pois sua força vem de reforçar outro Campeão por perto através de cura, escudos e reforços de velocidade.

Protetores como Lulu e Morgana possuem habilidades de suporte semelhantes, mas provavelmente se movimentam um pouco mais por causa de CC ou habilidades de reforço que permitem a eles fazer invasões seguras com seus caçadores.

Iniciadores de jogadas como Blitzcrank e Thresh têm Rovals maiores, pois ganchos atingidos com sucesso e outros CC difíceis no meio da rota ou na selva inimiga significam uma ou duas mortes de surpresa para a equipe.

E, então, há o Bardo. O Bardo não só tem o maior Roval, mas comparado ao Shen, o 2º suporte que mais “se movimenta”, o Roval do Bardo é 400.000 unidades2 maior, mesmo com o ultimate global do Shen que pode teleportá-lo para a rota do topo.

Outro dado interessante da movimentação do Bardo é que, se mapearmos as posições X-Y dele, ele notavelmente gasta mais tempo na selva e é o único Campeão de suporte que aparece consistentemente dentro dos muros do Summoner’s Rift. Veja o posicionamento do Bardo comparado ao suporte que menos se movimenta (Soraka) e um suporte iniciador clássico (Thresh):

Bardo
Soraka
Thresh
As posições X-Y do lado vermelho, minutos 01:00 a 12:00
Durante uma partida de teste, um dos designers gritou
“ENTRE EM MINHA JORNADA MÁGICA!” E foi isso!
Loping Cinder, Designer Narrativo


Q na Quinn

Eu ainda não entendi o Bardo completamente. A análise só me ajudou a me dar uma visão superficial do Protetor Andarilho, então eu decidi usar uma abordagem diferente. Em vez de resultados e posições coordenadas, eu investiguei uma história única do Bardo – um jogo, entre um milhão, que captura a estranheza e o espanto que o Bardo sempre traz. No vídeo abaixo, o Bardo tenta pegar uma Quinn feedada na equipe oponente com uma ultimate. Ela usa o Flash para desviar. A história poderia terminar aqui, mas o Bardo fez as Bardices dele.

O Bardo lançou uma Prisão Cósmica (Q) através da linha de tropas na Têmpera do Destino (R). A prisão passou por toda a linha de tropas, exceto pelo último soldado conjurador antes de a Têmpera do Destino terminar. A prisão pegou o soldado não atingível no fim da fila, ativando o alcance secundário da Prisão Cósmica que acertou a Quinn, que estava aparentemente segura. Com a Quinn atordoada, o Gangplank da equipe do Bardo usou o Flash para finalizá-la com seu próprio Q.

Essa jogada é impressionante, mas é ainda melhor quando você analisa a mecânica por trás. Então eu decidi calcular um componente único dessa jogada: o período de tempo em que o jogador do Bardo precisou lançar a Prisão Cósmica para conseguir essa jogada.

A equação é relativamente simples. Se soubermos a distância entre os dois soldados conjuradores em uma rota e a velocidade da Prisão Cósmica, podemos calcular o intervalo de tempo que a prisão poderia ter gasto naquele espaço. Primeiro, temos que descobrir a distância d e a velocidade v, e então fazer o cálculo para o tempo t.




Distância do soldado
A distância entre os soldados não é fixa em código. Em vez disso, eles têm um tempo de atraso para surgimento que resulta em uma distância relativamente constante entre os soldados de uma onda de tropas. Usando esse atraso, além da velocidade base de um soldado, podemos calcular a distância entre eles. É mais uma equação simples envolvendo distância, tempo e velocidade, mas desta vez, estamos buscando a distância entre os soldados, ou d soldado (nunca se esqueça).

t surgimento do soldado = atraso de surgimento do soldado = 800ms ou 0,80s

v soldado = 325 unidades/s

d = v soldado * t soldado
d = 325 unidades/s * 0,80 s
d soldado = 260 unidades



Distância total
A distância total para a nossa equação final é ligeiramente maior do que a distância entre os soldados em fila. Ela também inclui o diâmetro do soldado conjurador (o soldado atingido pela Prisão Cósmica no final da fila). Somando o diâmetro de um soldado e a distância entre os soldados da tropa, temos nossa distância total.

diâmetro (ø) do soldado = 96 unidades

d total = d soldado + ø soldado
d total = 260 unidade + 96 unidades
d total = 356 unidades


Velocidade Cósmica
A velocidade de uma Prisão Cósmica fica estabelecida em 1.500 unidades/segundo até que eu possa convencer a equipe Live Balance a aumentá-la para 1.738 unidades/segundo. #RemiBardz.

v = 1500 unidades/segundo

Têmpera do Tempo
Então, com d total (356 unidades) e v prisão cósmica (1.500 unidades/s) podemos fazer o cálculo para t, o intervalo de tempo final:

0,237 segundos ou 237 milissegundos – isso não dá muito espaço de manobra para o Bardo. Mas PGM Vondalv, o jogador espanhol do Bardo por trás da Prisão Cósmica, sabia o que ele estava fazendo. “A jogada foi intuição”, ele disse em uma entrevista comigo. “Eu sabia que era possível e todos os bons Bardos sabem o tempo de sua ultimate e que você deve lançar um Q através dela”.





Têmpera do Destino

Quando você fala com os criadores do Bardo sobre sua identidade no League, um assunto recorrente emerge. “O Bardo é um campeão folclórico”. Sua existência é o resultado de designers, artistas, fãs e jogadores projetando pedaços de personalidade e caráter em uma lousa enigmática. Sua natureza cósmica e às vezes cômica foram criadas e expandidas pela experiência dos jogadores com o Bardo e compartilhando histórias como a jogada insana de Vondalv.

Toda essa análise nos ajudou a entender alguns elementos do lugar do Bardo no League, mas, em última análise, ele é limitado em poder. Talvez compreender o Bardo não se trate de levantar grandes conjuntos de dados, analisar seu movimento, seus resultados e a soma numérica de seu impacto no jogo. Entender o Bardo é vivenciá-lo, ser parte da arte boba dos fãs, dos memes zoeiros e das melhores (ou piores) jogadas. Então, com isso, eu encorajo qualquer jogador que não tenha ouvido esses badalos cósmicos com os próprios ouvidos a experimentar o Protetor Andarilho e dar uma chance ao Bardo. Você nunca sabe a que jornadas mágicas ele vai te levar.


Entender o Bardo é vivenciá-lo.
Riot Blaustoise, Fã do Bardo