Está nevando! A arte da Friaca

Por: Rumtumtummers

League of Legends não precisa ser tenebroso. Pelo menos não o tempo todo. Existe mais para se fazer do que ficar se arrastando em um vale o dia todo. Colocar Campeões em situações menos-do-que-sérias é uma das coisas que deixam League tão único. O que seria de nós se não tivéssemos Graves Curtindo o Verão, Morgana Pesadelo Culinário ou AstroNautilus?

Sabíamos que queríamos manter esse senso de diversão no centro de tudo com a Friaca desse ano. E já que não há nada mais legal que um dia de brincadeiras na neve, os artistas e designers visuais começaram com uma pergunta simples: o que acontece quando os Campeões de League tiram um dia de folga para brincar de guerrinha na neve?

Escola fechada!

"Quando eu era criança, a gente só fazia guerra de bolas de neve”, diz a designer visual Kelly Aleshire. Existe essa sensação de 'eu deveria estar fazendo algo hoje, mas agora eu vou é me divertir.'" Comunicar essa sensação aos jogadores era o objetivo central para as equipes trabalhando na Friaca. Seja com os abafadores gigantes da Syndra, os mipes pinguinificados do Bardo ou as super-tropas limpa-neves meio estabanadas, o foco principal era o de deixar tudo com sensação única de diversão.

Conceito do Bardo Friaca finalizado e pronto para produção

O artista conceitual Wesley Keil explica: "é uma dessas coisas bobas e despreocupadas em que você se afasta do que é sério." Para a Friaca desse ano "a equipe quis criar algo divertido de verdade", enfatiza Aleshire, "portanto o feedback foi mais centrado em chegar a esse ideal sem exagerar demais." Cada conceito passou por diversas iterações conforme os artistas trabalhavam para encontrar algo que desse a sensação certa para o tema geral, mas sem fugir do que serve ao Campeão. O Gnar pode vestir um gorro de inverno, por exemplo, mas não pode deixar de ser o Gnar.

A ideação de skins frequentemente envolve a criação de diversos conceitos para cada Campeão

O evento desse ano ficou mais complicada devido à inclusão das tropas da Friaca. Embora eles sejam menos complexos do que Campeões, sua simplicidade traz a própria variedade de dificuldade. Keil diz: "Eles precisam ser interpretados claramente; existe um monte de ramificações de mecânica de jogo — o que acontece quando há uma tonelada deles na tela etc..." Assim como a equipe precisou balancear as skins entre o tema da Friaca e o cerne de personalidade de cada Campeão, as tropas precisaram ser claramente inseridas no contexto da Friaca sem afetar a mecânica de jogo de verdade. Não existe diversão quando existe confusão no jogo.

Conceito inicial mostra ideias diferentes para as tropas da Friaca

Por fim, a ilustração talvez seja a destilação mais clara da Friaca como ideia, mostrando as skins ao mesmo tempo em que captura a personalidade de cada Campeão e comunica o tema geral de diversão na neve. "O Bardo, por exemplo, está sempre meio na dele," diz Aleshire. "Ele não está super preocupado com humanos ou com o universo como nós nos preocupamos, então ele meio que fica no mundinho dele tomando chocolate quente com um mipe. Já o Gnar tem uma atitude hiperativa, então está distraído e correndo atrás de um mipe em vez de ajudar. A ilustração tem a responsabilidade de juntar tudo em uma única imagem que conta toda a história.

  Esse momento só ocorre de vez em quando, em que um monte de personagens sérios se dão uma folga para brincar na neve.

O resultado é uma coleção de skins e outras coisas que incorporam a ideia de um passeio tranquilo no inverno. "Esse momento só ocorre de vez em quando, em que um monte de personagens sérios se dão uma folga para brincar na neve", conclui Aleshire. "Esperamos capturar isso e dar aos jogadores a mesma sensação que lembro de ter ao arremessar bolas de neve em meus amigos."


3 years ago

Marcado com: 
Snowdown, Bard, Gnar, Syndra

Conteúdo Relacionado